segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Resenha: Between Shades of Gray (A Vida em Tons de Cinza) - Ruta Sepetys

  Oi, povo feliz!
  Desculpem a ausência no fim de semana, tive que sair! Mas já estou de volta, e com a resenha de um livro muito triste e tocante, e também ótimo que é Between Shades of Gray (A Vida em Tons de Cinza - Arqueiro) da Ruta Sepetys! Lá vai!

  Informações (Ir)relevantes:
         Original                                                       
Nome: Between Shades of Gray        
Autor: Ruta Sepetys
Gênero: Young Adult
Número de Páginas: 344
Lançamento: Março 2011                                          
Editora: Philomel Books
_____________________
              Brasil
Nome: A Vida em Tons de Cinza  
Número de Páginas: 240
Lançamento: 2011
Editora: Arqueiro                               



                                   Sinopse
  Original
  "Lina is just like any other fifteen-year-old Lithuanian girl in 1941. She paints, she draws, she gets crushes on boys. Until one night when Soviet officers barge into her home, tearing her family from the comfortable life they've known. Separated from her father, forced onto a crowded and dirty train car, Lina, her mother, and her young brother slowly make their way north, crossing the Arctic Circle, to a work camp in the coldest reaches of Siberia. Here they are forced, under Stalin's orders, to dig for beets and fight for their lives under the cruelest of conditions.
  Lina finds solace in her art, meticulously - and at great risk - documenting events by drawing, hoping these messages will make their way to her father's prison camp to let him know they are still alive. It is a long and harrowing journey, spanning years and covering 6,500 miles, but it is through incredible strength, love, and hope that Lina ultimately survives.Between Shades of Gray is a novel that will steal your breath and capture your heart."

  Brasileira
  "Lina Vilkas é uma lituana de 15 anos cheia de sonhos. Dotada de um incrível talento artístico, ela se prepara para estudar artes na capital. No entanto, a noite de 14 de junho de 1941 muda para sempre seus planos.
  Por toda a região do Báltico, a polícia secreta soviética está invadindo casas e deportando pessoas. Junto com a mãe e o irmão de 10 anos, Lina é jogada num trem, em condições desumanas, e levada para um gulag, na Sibéria.
  Lá, os deportados sofrem maus-tratos e trabalham arduamente para garantir uma ração ínfima de pão. Nada mais lhes resta, exceto o apoio mútuo e a esperança. E é isso que faz com que Lina insista em sua arte, usando seus desenhos para enviar mensagens codificadas ao pai, preso pelos soviéticos.
  A vida em tons de cinza conta a história de um povo que perdeu tudo, menos a dignidade, a esperança e o amor. Para construir os personagens de seu romance, Ruta Sepetys foi à Lituânia a fim de ouvir o relato de sobreviventes dos gulags. Este livro descreve uma parte da história muitas vezes esquecida: o extermínio de um terço dos povos do Báltico durante o reinado de horror de Stalin.
  Para Estônia, Letônia e Lituânia, essa foi uma guerra feita de crenças. Esses três pequenos países nos ensinaram que a arma mais poderosa que existe é o amor, seja por um amigo, por uma nação, por Deus ou até mesmo pelo inimigo. Somente o amor é capaz de revelar a natureza realmente milagrosa do espírito humano."


              
            E, finalmente, a porcaria da resenha...      


  Eu realmente não sei como falar desse livro... É tão difícil pra mim falar dele como foi de Os Treze Porquês ou A Menina que Roubava Livros, porque eu sinto que no meu vocabulário jovem não existem palavras o suficiente pra expressar a imensidão da emoção contida nesses livros, inclusive em Between Shades of Gray.
  Desde o começo, a história nos apresenta como narradora Lina Vilkas, uma menina de 15 anos lituana, que se vê em meio a conflitos da Segunda Guerra quando Soviéticos invadem sua casa e a levam a um trem lotado e mau-cheiroso. Lina é uma personagem extremamente forte, que sabe o que quer e quando fazer as coisas. Ela luta por seus direitos e não se deixa cair, e foi melhor ainda ler o livro aos olhos de Lina. Você vê como, no meio de tudo aquilo, ela não desiste de sua família, de sua arte, de seu primeiro amor. Ela luta por tudo isso, para que as pessoas que ela ama e aprendeu a amar com o tempo lá passado não morram em vão.
  Andrius é o garoto que ela conhece no momento mais difícil de sua vida e, mesmo brigando bastante e não querendo aceitar, ele é uma das razões que leva Lina a seguir em frente, fazendo ele também um personagem muito importante.
  A maneira como a história é contada é maravilhosa, e o talento da autora é realmente surpreendente. Ela aborda esse assunto tão "ignorado" com uma facilidade e uma forma de escrita impressionantes, botando de tempos em tempos flashbacks da vida de Lina antes da Guerra. É uma narrativa triste, mas ao mesmo tempo linda, e é isso que eu sinto com a própria história do livro. Mesmo ela sendo triste, horrível, você percebe que a autora consegue traçar nesse meio uma história bela, que você sabe que te seguirá por vários anos.
  A capa, pra mim, representa exatamente o que nos fala o livro: no meio de uma nevasca, pode nascer uma planta, uma faísca de esperança de vida. E é isso também que diz o título. Depois de ver esse vídeo da autora (sim, eu vi tudo) e descobrir o significado do título, me surpreendi. O que nos diz o título é que algumas pessoas no meio dos vis soldados queriam realmente ajudar então, às vezes, Entre Tons de Cinza (tradução literal do título, necessária aqui) existe uma frestinha por onde entra luz.  
  De uma maneira muito tocante, Ruta Sepetys nos traz a história de uma realidade da Segunda Guerra Mundial pouco abordada, e nos faz pensar muito sobre a própria vida dessas pessoas. É uma história bela e impressionante que todos deviam ler. Recomendo e muito!

  Nota (1 a 5): 5    


  É isso, povo! Espero que tenham gostado!
  Boa leitura!

3 comentários:

  1. Oi Juan! Conheci hoje o seu blog, ( voce mandou a publicação no skoob q há seculos eu não entrava) e gostei muito! Parabéns, você escreve muito bem ^^ ah, adorei a resenha! Gosto de livros assim... apesar de tristes, sempre nos param pra refletir... Pra darmos mais valor à vida ;)
    Ei, participa do nosso blog(meu e da minha irmã)... sei que tem o nome 'garotas', mas é pra todos..rsrs
    http://garotas-e-livros.blogspot.com
    Estamos fazendo uma promo de aniversário... vê se interessa por algum livro ;)
    Até mais...
    Gabbe Barbosa

    ResponderExcluir
  2. John Michael Cummings25 de novembro de 2011 13:26

    re: book review request by award-winning author

    Dear Geeks and Books:

    I'm an award-winning author with a new YA book out this fall. Ugly To Start With is a series of thirteen interrelated stories about childhood being published by West Virginia University Press.

    Can I interest you in reviewing it?

    If you write me back at johnmcummings@aol.com, I can email you a PDF of my book. If you require a bound copy, please ask, and I will forward your reply to my publisher. Or you can write directly to Abby Freeland at:

    Abby.Freeland@mail.wvu.edu

    My publisher, I should add, can also offer your readers a free excerpt of my book through a link from your blog to my publisher's website:
    http://wvupressonline.com/cummings_ugly_to_start_with_9781935978084

    Here’s what Jacob Appel, celebrated author of
    Dyads and The Vermin Episode, says about my new collection: "In Ugly to Start With, set in the eastern panhandle of West Virginia, Cummings tackles the challenges of boyhood adventure and family conflict in a taut, crystalline style that captures the triumphs and tribulations of small-town life. He has a gift for transcending the particular experiences to his characters to capture the universal truths of human affection and suffering--emotional truths that the members of his audience will recognize from their own experiences of childhood and adolescence.”

    My short stories have appeared in more than seventy-five literary journals, including North American Review, The Kenyon Review, Alaska Quarterly Review, and The Chattahoochee Review. Twice I have been nominated for The Pushcart Prize. My short story "The Scratchboard Project" received an honorable mention in The Best American Short Stories 2007.

    I am also the author of the nationally acclaimed coming-of-age novel The Night I Freed John Brown (Philomel Books, Penguin Group, 2009), winner of The Paterson Prize for Books for Young Readers (Grades 7-12) and one of ten books recommended by USA TODAY.

    For more information about me, please visit:
    http://en.wikipedia.org/wiki/John_Michael_Cummings

    Thank you very much, and I look forward to hearing back from you.

    Kindly,

    John Michael Cummings

    ResponderExcluir

  3. Free Work at Home Job (11568)
    Work at home completing simple surveys from home. No
    registration fees. Join today For more information
    visit: (http://www.eazy2earn.com)

    ResponderExcluir