segunda-feira, 16 de maio de 2011

Resenha: The Forest of Hands and Teeth - Carrie Ryan

  Oi, povo feliz!
  Hoje vou resenhar um livro do qual vinha ouvindo falar há dois anos, sem parar, e que finalmente tive a chance de ler, que é The Forest of Hands and Teeth, da Carrie Ryan. Lá vai!

  Informações (Ir)relevantes:
The Forest of Hands and Teeth (The Forest of Hands and Teeth, #1)         Original                                                                                                              
Nome: The Forest of Hands and Teeth        
Autor: Carrie Ryan
Número de Páginas: 308
Lançamento: 2009                                          
Editora: Delacorte Books for Young Readers
_____________________
              Brasil
Nome: A Floresta de Mãos e Dentes
Número de Páginas: Sem informações
Lançamento: Previsto para o primeiro semestre de 2011
Editora: Underworld                               



                                   Sinopse
  Original
  "In Mary's world there are simple truths. The Sisterhood always knows best. The Guardians will protect and serve. The Unconsecrated will never relent. And you must always mind the fence that surrounds the village; the fence that protects the village from the Forest of Hands and Teeth. But, slowly, Mary’s truths are failing her. She’s learning things she never wanted to know about the Sisterhood and its secrets, and the Guardians and their power, and about the Unconsecrated and their relentlessness. When the fence is breached and her world is thrown into chaos, she must choose between her village and her future—between the one she loves and the one who loves her. And she must face the truth about the Forest of Hands and Teeth. Could there be life outside a world surrounded in so much death?"

  Brasileira
  "No mundo de Mary, existem simples verdades.
  A Irmandade sempre sabe o que é melhor.
  Os Guardiões irão proteger e servir.
  Os Profanos nunca descansarão.
  E você deve sempre se preocupar com a cerca que rodeia a vila. A cerca que protege a vila da Floresta de Mãos e Dentes.
  Mas devagar, as verdades de Mary começam a falhar. Ela está descobrindo coisas que nunca quis saber sobre a Irmandade e seus segredos, e os Guardiões e seu poder. E quando a cerca é violada, seu mundo é jogado em meio ao caos, em meio aos Profanos e sua sede.
  Agora ela deve escolher entre sua vila e seu futuro, entre o homem que ela ama e o homem que a ama. E ela deve encarar a verdade sobre a Floresta de Mãos e Dentes. Poderá existir vida longe de um mundo rodeado por tanta morte?"


                   Um Livro Em Três Palavras    

                             Sangrento; Diferente; Awesome

            E, finalmente, a porcaria da resenha...      

  Mary vive num mundo onde as pessoas não simplesmente morrem... se tornam Profanos. Esse destino, no mundo de Mary, chega a ser pior que a morte. Os Profanos se mantêm na Floresta de Mãos e Dentes, a Irmandade controla tudo e o mundo anda em harmonia... Até o dia em que essa cerca é violada. Agora, Mary deve lutar por sua família, seus amigos, seu amor e, mais importante, por sua vida. Ela questionará vários aspectos do mundo à sua volta, e enfrentará coisas piores que a morte.
  Eu quero escrever essa resenha inteira em letras maiúsculas, isso foi o tanto que eu adorei esse livro!
  Eu realmente não sei por onde começar essa resenha! Posso tentar de várias maneiras escrever isso, mas eu sei que nunca vai ser bom o suficiente como para expressar o quão bom é esse livro! Palavras não são o suficiente!
  Vamos começar então pela história: É uma ideia bem diferente, difícil, e nas mãos de qualquer outra pessoa poderia dar terrivelmente errado, mas a Carrie Ryan consegue transformar essa história impossível em algo viciante, bom, que você não quer soltar o livro! Sério! Várias vezes me encontrei querendo sair pra fazer qualquer outra coisa a não ser ler, mas não consegui. Precisava saber mais! É uma história que, do começo ao fim, te encanta, te assusta, te impressiona...
  E isso é complementado pela escrita da Carrie Ryan! Mal havia chegado na metade do livro, ela já era minha terceira autora favorita. Ela escreve muito bem, de uma maneira que vicia, que você simplesmente quer saber mais! E ela também não joga quinhentas informações de uma vez sobre o leito. Em vez disso cria um mistério perfeito, no qual ela só vai te dizendo o que você precisa saber, e nada mais. Por exemplo: sobre o Return (apocalipse zumbi do livro), nunca é dito, nem mesmo mencionado, como ele ocorreu. Ela deixa o leitor soltar a imaginação, pensar qualquer coisa.
  Por último, temos os personagens: A Mary consegue falar sobre o Travis o livro inteiro, consegue pensar sobre só Deus sabe o que o livro inteiro, e mesmo assim consegue não ser uma retardada irritante como um certo alguém cujo nome não preciso mencionar... ¬¬ Ela é uma personagem diferente. Só isso. Ela vive num mundo onde o que todos precisam ter é aceitação, do estilo "Vivemos nessa porcaria de mundo e não saímos tão cedo daqui", mas ela não consegue aceitar. Ela sempre se pergunta por que, sempre quer mais, sempre sonha. Ela passa o livro inteiro, por exemplo, procurando o oceano, do qual a única prova que ela tinha que existia eram as velhas histórias da mãe. Ela é uma personagem sonhadora, e eu gostei bastante de ler a história pelos olhos dela.
  Outro personagem estranho, mas muito bem-feito é o Travis. Ele é o amor da vida da Mary, eles não vivem um com o outro e blá, blá, blá... e mesmo assim ele não é como os outros garotos dos livros Young Adult de hoje em dia. Apesar de amar a Mary, de desejá-la e tal, ele não fica dependendo dela para tudo, não se torna o cachorrinho da Mary, apenas tenta fazer ela gostar dele, como qualquer outro cara normal.
  Falando no Travis, e aproveitando: o livro tem bastante romance, sim! Mas, como em The Mortal Instruments, esse excesso de romance só complementa o livro, mostra que os personagens realmente tem motivação pra fazer o que fazem, que não estão arriscando suas vidas apenas para passar o dia. E, no caso desse livro, esse amor motiva os dois personagens a fazerem "idiotices" para salvar o outro, o que fica muito bom no final.
  E apenas uma última coisa: os Profanos (Unconsecrated) no livro, estão muito bem feitos, porque eles são zumbis, sim, mas não fogem tanto da realidade humana. Pelo menos na minha cabeça, eu imaginei eles como humanos alterados, alguns com orgão sim, orgão não faltando! Haha Mas eles estão muito bem descritos, e realmente alguns chegam a dar um arrepio na espinha!
  Bom, acho que me prolonguei demais aqui... Pra terminar: Recomendo esse livro pra todo mundo que quer um livro de aventura, ação, "suspense" e romance viciante, bem-escrito e impossível de largar. Mal posso esperar pra botar minhas mãos em uma cópia de The Dead-Tossed Waves!


  Nota

This book is a Potter Geek!


  Nota para a capa (1 a 5): 5; Essa capa do paperback é, tipo, muito irada!! (apesar de eu ainda preferir um pouco a versão brasileira, da Marina Ávila. Fala sério, está muito boa!!)

  É isso, povo! Espero que tenham gostado!
  Boa leitura!

Um comentário:

  1. MUITOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO ADORO esse livro! hahahaahahhaahah

    ResponderExcluir