sábado, 12 de março de 2011

Review Holiday - Final Day (Day 9): Incarceron - Catherine Fisher

  Oi, povo feliz!
  Última resenha do RH! *choros da multidão* Eu sei, eu sei, vocês me adoram! Haha Sacanagem! Mas sério é a última resenha... Eu gostei bastante de fazer esta porcaria idiota que ocupou todo meu tempo durante a semana! :D Hoje a resenha será de Incarceron, que foi minha última leitura e que eu acabei só na quarta, então, resenha fresca! Haha Lá vai!

  Informações (Ir)relevantes:
         Original                                                                                                         
Nome: Incarceron         
Autor: Catherine Fisher
País de origem: Inglaterra
Número de Páginas: 458 
Lançamento: 2007                                           
Editora: Hodder Children's Books 
_____________________
              Brasil
Nome: Incarceron    
Número de Páginas: (Sem Informações)
Lançamento: Previsto para o 1° semestre de 2011 
Editora: Novo Século                                



                                   Sinopse
  Original
  "Incarceron is a prison so vast that it contains not only cells, but also metal forests, dilapidated cities, and vast wilderness. Finn, a seventeen-year-old prisoner, has no memory of his childhood and is sure that he came from Outside Incarceron. Very few prisoners believe that there is an Outside, however, which makes escape seem impossible.
And then Finn finds a crystal key that allows him to communicate with a girl named Claudia. She claims to live Outside- she is the daughter of the Warden of Incarceron, and doomed to an arranged marriage. Finn is determined to escape the prison, and Claudia believes she can help him. But they don't realize that there is more to Incarceron than meets the eye. Escape will take their greatest courage and cost more than they know. "

  (Tradução)
  Incarceron é uma prisão tão vasta que contém não só celas, como também florestas de metal, cidades arruinadas e fauna vasta. Finn, um prisioneiro de 17 anos, não tem nenhuma memória sequer de sua infância, e está certo de que veio do Exterior de Incarceron. Poucos prisioneiros creem que há um Exterior, de qualquer maneira, o que faz a fuga parecer impossível.
E é aí que Finn encontra uma chave de cristal, que lhe permite comunicar-se com uma garota chamada Claudia. Ela diz viver no Exterior - ela é a filha do Diretor de Incarceron, e está destinada a um casamento arranjado. Finn está determinado a escapar da prisão, e Claudia acredita que pode ajudá-lo. Mas eles não percebem que Incarceron é mais do que parece ser. A fuga será sua maior prova de coragem, e lhes custará mais do que eles pensam.



                   Um Livro Em Três Palavras    

                 Diferente; Parece-uma-montanha-russa; Must-Read

            E, finalmente, a porcaria da resenha...      

    Finn é um prisioneiro de Incarceron, uma prisão tão vasta que contém florestas, rios e montanhas. Ele é um Starseer (Vidente de Estrelas [tradução livre]), ou seja, ele tem visões do Exterior de Incarceron, das estrelas no céu. Ele tem certeza de que veio do Exterior, mesmo a Prisão tendo sido trancada há milhares de anos. O que Finn quer mais é Escapar, mas apenas um homem conseguiu em toda a história de Incarceron, e não se soube mais dele desde então.
    Claudia  vive no Exterior - ela é filha do Diretor de Incarceron. Apesar de estar no Exterior, ela vive presa: presa ao decreto da Era, presa às obrigações do pai e, mais importante, presa a um casamento forçado. Ela encontra uma chave, uma chave de cristal, que a ajuda se comunicar com Finn. Eles descobrem os problemas um do outro, e tentam se ajudar. Será Finn a chave para Claudia sair de seu casamento? E poderá Claudia ajudar Finn a Escapar?
    Sabe aqueles livros que você literalmente não faz ideia do que virá na próxima página? Bem, em Incarceron, você não sabe o que virá no próximo parágrafo! Sério! Foi realmente um dos melhores livros que eu já li! Em um livro só, conseguimos mais revira-voltas, ou seja, uma história mais elaborada, do que em toda a série de The 39 Clues (10 livros, pra quem não sabe!!).
    O jeito da autora escrever é... Não sei como explicar! É uma narrativa literalmente cativante, de mistério, ação, e aventura! E sabe aquele romance chatinho que todo livro tem que ter? Incarceron não o tem, e consegue ser ótimo assim mesmo! Até, se me permitem dizer, acho que um romance estragaria Incarceron!
    O livro é, com certeza, um page-turner! Por que? Porque você literalmente sente como se fosse matar alguém, só pra saber o que vem na página a seguir!
    E o final... Ah, o final... Dá raiva!!! É ótimo, o melhor possível para o livro, mas dá raiva! Por que? Uma palavra, em inglês: cliffhanger! (Pra quem não sabe, um final que não é realmente um final, e te deixa querendo saber mais.) Que bom que o livro tem continuação, senão eu me matava! Sério!
    Incarceron é uma aventura recomendada para todo mundo, onde cada palavra faz diferença, e cada frase é uma surpresa. Eu estou me matando aqui para conseguir o segundo livro da série, que se chama Sapphique. Ah, e podem apostar que eu vou ler mais dessa autora! Podem apostar!


  Nota  (1 a 5): 5

  Nota para a capa (1 a 5): 4; Eu não sei porque, mas prefiro a capa americana... Vai entender, né?

  É isso, povo! Espero que tenham gostado da última resenha, espero que tenham gostado das outras resenhas, enfim... espero que tenham gostado! Haha
  Boa leitura!

Um comentário:

  1. Hahaha vc fez essa resenha aqui em casa... né Grilo Falante? Hahaha!!!

    ResponderExcluir